Tokio Hotel Fanfictions
Hello Alien!

Seja bem-vindo ao Fórum dedicado somente a Fanfictions dos Tokio Hotel.

Não estás conectado, por isso faz login ou regista-te!

Estamos à tua espera. Aproveita ao máximo o fórum ;-)

Destinado a Fanfics sobre a banda Tokio Hotel. Os leitores poderão expor as suas fics como também poderão somente ler.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Contagious Love

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Contagious Love em Seg Nov 26, 2012 11:28 am


Nome da autora: Nessie.
Género: Romance, Drama.
Prólogo:

Esta é a história de duas irmãs e duas amigas dessas irmãs, que nunca pensaram ter um “verdadeiro amor” nas suas vidas. Tinham, as quatro, sofrido desgostos amorosos, e chegaram a um ponto em que deixaram de acreditar no amor. Estavam fartas de sofrer por causa de pessoas idiotas, estúpidas e outros nomes que é melhor eu nem dizer. Identificam-se umas com as outras e eram muito amigas. Verdadeiras amigas. Principalmente as irmãs, Nessie e Sónia, eram extremamente unidas. Estavam sempre juntas, fazia quase tudo juntas. Tinham uma grande amizade, um grande amor. Todos os que as viam, sentiam claramente o amor de irmãs que elas transmitiam. Algumas pessoas pensavam que o grande amor que elas tinham uma pela outra era mentira, que só se mostravam ser assim em público para “parecer bem”, e que quando estavam sozinhas ou com as suas amigas, Catarina e Kätarina, se fartavam de discutir, e até circulavam rumores que as discussões eram tão acesas, que até chegavam a puxar os cabelos uma à outra, e que por vezes andavam mesmo à porrada. E quem é que haveria de contar essas mentiras? Certa gente invejosa, Forever Alone’s autênticos que desejavam ter irmãos assim, ou pelos menos ter um irmão. Como é que eu sei tudo isto? Porque eu sou a Nessie. E que fique desde já bem claro que eu não ando à porrada com a minha irmã. Sim, temos discussões, assim como toda a gente, mas a certo ponto que percebemos que continuar a discutir é uma estupidez, decidimos apenas respeitar a opinião uma da outra, e pronto. Bem, agora que já vos esclareci tudo, passemos à história que eu vos ia contar, sim? Todas elas estavam solteiras e, como já tinha dito, fartas de tretas amorosas e de sofrer por quem não merecia um único pensamento delas. Por isso, para não estarem sempre sozinhas a pensar no que é que fizeram de mal para o namoro ter acabado, passavam as tardes sempre juntas. Devem estar-se a perguntar: Então mas que idade é que elas têm? Não estudam? Não trabalham? Eu respondo-vos. A Catarina e a Kätarina têm ambas 20 anos, apenas com alguns meses de diferença; a Nessie tem 21 e a Sónia tem 22. Quanto às outras questões, nem uma, nem outra. Uma das coisas que temos em comum é que… Dinheiro é algo que… Pronto, vocês entendem. E outra coisa que temos em comum é a preguiça! É claro que já todas trabalhámos, mas naquele momento estávamos a ser atacadas pela preguicite aguda. Como estava a dizer, juntávamo-nos todas as tardes, na casa de uma de nós. E aquela tarde, não era excepção.

Personagens:


- Sónia.



- Nessie.



- Bill.



- Tom.



- Tyler.



------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

Espero que tenham gostado só deste bocadinho... Se comentarem e forem uns queridos eu publico o primeiro capítulo depressa! ;D
Comentem, sim? o:
Obrigado e beijinhos ♥

Ver perfil do usuário

2 Re: Contagious Love em Seg Nov 26, 2012 6:39 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Opa!' Curiosa pelo primeiro capitulo! alien

Ver perfil do usuário

3 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 10:34 am

1º - A Desconfiança.


- Já viste quem é que comentou a minha nova foto no Facebook maninha? – perguntava-me a minha irmã, boquiaberta.
- Quem, mana?
- Aquela vaca!! –
Dizia, olhando-me com cara estranha
- Espera lá Sónia… Qual vaca? É que eu conheço tantas! – Perguntava Kätarina. Mal ela acabou de dizer aquilo, começámo-nos todas a rir. Ela tinha toda a razão.
- A Sophie! Coitada, agora deve pensar que somos muito amiguinhas! Olha para isto: Estás mesmo linda nessa foto querida! Adoro-te, beijinhos fofa* … Mas o que é isto?!
- Oh mana, mas porque é que tu não… - O meu telemóvel começa a vibrar, recebi uma mensagem, de um número que não conhecia de parte nenhuma – Não pode ser… - sussurrava para mim mesma
- O que foi, Nessie? – Perguntava Kätarina, aproximando-se de mim
- Lembram-se de eu vos ter contar que o Tom me tinha dado um papelinho com o número dele? E eu dei-lhe o meu…
- Sim Nessie, continua…! –
Dizia Catarina, olhando-me impaciente
- Ele mandou-me uma sms… - Olhava estupefacta para a sms vezes sem conta, lendo sempre a parte em que dizia Beijinho, assinado: Tom Kaulitz. Não conseguia acreditar, de maneira nenhuma, no que estava a ver.
- Oh meu deus mana, oh meu deus! O que diz a mensagem? CONTAA!! – A minha irmã, assim como as nossas amigas, chegaram rapidamente ao pé de mim, esperando que eu lhes lesse a mensagem.
- Tenham calma… Diz assim: Olá Nessie! Tal como disse, aqui estou eu, a contactar-te! Gostava de saber se podíamos sair um dia destes, sei lá… Irmos dar uma volta, ou jantar. Que me dizes? Espero ansiosamente pela tua resposta! Beijinho, assinado: Tom Kaulitz.
- Oh mana, tu aceita, JÁ! – Gritou a minha irmã, agarrando-se a mim, histérica
- Oi, oi, calma! E se é alguém a gozar comigo? Outra pessoa? Eu não sei…
- Não sejas parva! Claro que é o Tom! Seria quem? O Zé Coxo da esquina?? Olha… Já está a ficar tarde, já é quase hora de jantar. Vamos andando, Kätarina? –
Catarina pegava na sua mala, olhando para Kätarina e segurando-lhe depois a mão, puxando-a
- Sim, sim, vamos! Nessie, vai dando-nos notícias! – Dizia com um grande sorriso, despedindo-se de mim e da minha irmã, assim como Catarina o fez, logo de seguida. Instantes depois, as nossas amigas saem da nossa casa, ficando eu a sós com a minha irmã, no nosso quarto.
- Manita, vais aceitar, certo? – Puxava-me para ela, abraçando-me logo depois. A minha querida irmã também queria que eu aceitasse o convite.
- Oh mana, sinceramente não sei! E se não for ele? Sabes que estas coisas hoje em dia acontecem muito, há pessoas que gostam de se fazer passar por outras! – Estava feliz, mas ao mesmo tempo estava com um pouco de receio. Sabe-se lá se não era um tarado qualquer a fazer-se passar pelo Tom! Podia ter arranjado o meu número através de alguém, sei lá!
- Calma maninha! – Senta-se na cama e puxa-me, fazendo com que eu me sentasse no seu colo – Se quiseres eu vou contigo, só naquela… Se for mesmo ele, boa, eu depois bazo. Se não for ele, damos-lhe muita porrada! Pode ser? – Afastava os meus cabelos dos olhos, dando-me um beijinho cheio de ternura na bochecha.
- Está bem mana! Se fores comigo, eu sinto-me muito mais segura e protegida! – Sorri e abracei a minha irmã ao dizê-lo. Ela era extremamente importante para mim, dava-me todo o apoio, em todas as situações.
- E se nós fossemos as duas, jantar fora? Os pais mandaram mensagem à pouco a dizer que hoje iam chegar tarde…
- Sim, acho muito boa ideia! –
Levantei-me logo, olhando-me ao espelho e começando logo a pensar no que iria vestir. Sim, sou extremamente vaidosa, e gosto de andar sempre bem vestida. Sempre gostei, desde pequena.
- Olha, e se… - Começava a minha irmã, olhando-me de baixo para cima, com um sorriso estranho. Não vinha coisa boa dali, isso era certo.
- E se…? Se o quê? – Perguntava, com algum receio da respostas que pudesse dali advir.
- E se convidasses o Tom? Assim já tiravas todas as dúvidas!
- Ai, não sei mana! Achas que deva…?
- Claro mana! Então porque não? E pode ser que ele até leve o irmão!! –
Dizia com um enorme sorriso estampado nos lábios.
- Ah pronto, está tudo explicado! Tu queres é ver se consegues estar pertinho do Bill!
- Então, já agora, se for mesmo o Tom, tenho de aproveitar! Não há oportunidades destas todos os dias, manita!
- Bem, lá nisso tens toda a razão! Ai mana… E se for mesmo o Tom? Ai meu deus, vai-me dar uma coisinha má!!
- Olha, sua tola… Tu já estiveste com eles os quatro, e não te aconteceu nada! Agora eu nunca estive tão perto de nenhum deles mana! Se calhar vai-me dar o fanico a mim!! –
Dizia rindo-se.
- Oh, a ti? Nããã… Não acredito nisso! Tu nunca pareces nervosa! Porque é que irias ficar agora nervosa?
- Porque é o BILL KAULITZ mana!! O Biiiiiill! –
Gritava feita histérica, aos saltinhos.
- Oh meu deus mana, calma!! – Ria às gargalhadas, ao ver as figuras que ela estava a fazer. De súbito, o meu telemóvel volta a vibrar. Mas desta vez, a vibração era mais intensa e prolongada. Chamada? Quem é que me estaria a ligar? Puxei o telemóvel do bolso e vi o meu mais recente contacto no ecrã: Tom Kaulitz. – Mana! É o Tom, ele está-me a ligar! Ai, ai, ai!! O que é que eu faço agora?!
- Atende mana, atendee!! E assim vês já se é ele! Tu conheces a voz dele! Atende mana!! –
Dizia histérica, ansiosa que eu atendesse.


------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

Tive que colocar a imagem desta forma porque não estava a dar para colocar aqui a imagem, o código não estava a funcionar, portanto peço desculpa.. Assim que der eu edito ;D
Espero que tenham gostado do primeiro capítulo!
Comentem e muito em breve haverá mais! ;D
Obrigado e beijinhos ♥



Última edição por Nessie em Sex Nov 30, 2012 3:38 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário

4 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 10:46 am

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Hahahah eu ri do desespero da Nessie! Se ela deu o número para o Tom, obviamente é ele! Mas ela vai ter que atender o telefone pra ter certeza disso! Rolling Eyes

Pera ai... fiquei confusa aqui, as amigas dela são Catarina e Kätarina? O mesmo nome de formas diferentes de escrever?! Jah vi que vou ficar perdida com elas hahahaha

Como a Nessie conheceu os meninos?! Toh curiosa!
E quero saber o que o Tom vai falar pra Nessie, se eles vão sair juntos!

Continua!!! bounce

Ver perfil do usuário

5 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 1:42 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Hahahah eu ri do desespero da Nessie! Se ela deu o número para o Tom, obviamente é ele! Mas ela vai ter que atender o telefone pra ter certeza disso! Rolling Eyes

Pera ai... fiquei confusa aqui, as amigas dela são Catarina e Kätarina? O mesmo nome de formas diferentes de escrever?! Jah vi que vou ficar perdida com elas hahahaha

Como a Nessie conheceu os meninos?! Toh curiosa!
E quero saber o que o Tom vai falar pra Nessie, se eles vão sair juntos!

Continua!!! bounce

Sim, o nome delas é igual mas escreve-se de maneira. Não tens de se preocupar muito com isso, essas personagens aparecem mais no início... =)
Basicamente a Nessie ganhou um "Meet&Greet", e foi assim que os conheceu, no backstage. Só que como o Tom gostou dela, pediu o número dela... :b
Obrigada pelo comentário!

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

2º - Os nervos.


- Devagarinho lá atendi, e comecei a falar – Estou, Tom?
- Olá Nessie, tudo bem?
- Sim, e contigo, Tom?
- Também! Olha… Recebeste a mensagem que te enviei?
- Sim Tom, claro! E tenho uma proposta para te fazer! –
Estremecia ao dizê-lo, olhando para a minha irmã e sorrindo.
- Sim linda, diz!
- Bem, eu e a minha irmã estávamos a pensar em ir jantar fora… E como tu querias sair comigo e tal, talvez um jantar, pensei em te convidar. Que dizes?
- Acho uma óptima ideia! Vocês importam-se que o Bill também vá? Assim faz companhia à tua irmã! –
Dizia sorrindo.
- Óptimo, excelente ideia! – Afirmava, olhando para a minha irmã e fazendo-lhe um enorme sorriso. Ela percebeu logo, começou aos saltinhos e tapou a boca para não faz barulho. - A que horas e onde vamos?
- Bem, eu sei que se calhar não é o sítio mais apropriado, mas… E que tal irmos ao McDonald’s, às 8 da noite?
- Hum, isso agrada-me muito! Fica combinado então! Até logo, Tommie.
- Até logo, linda! Beijinhos! –
Mesmo antes de desligar o telemóvel, ouvi-o sorrir.

Eu nem queria acreditar que eu e a minha irmã íamos jantar fora, naquela mesma noite, com Tom e Bill Kaulitz. Por instantes, pensei que estava a dormir, a sonhar, e que dentro de instantes iria acordar. Quer dizer, para além do enorme nervosismo que sentia, estava a começar a stressar, porque não sabia o que havia de vestir.

- Manaaa, estou a stressar imenso! O que é que eu vou vestir?! – Entrava numa pequena sala, ou seja, o meu “guarda-roupa”. A minha irmã tem um igual, com as roupas e calçado dela. Quer dizer, eu disse “pequena sala”, mas não é assim tão pequena.
- Tem calma maninha – sorria entrando comigo no meu “compartimento de roupa e calçado”.
- Pego num vestido vermelho justo, que ia até ao joelho – Este, mana? – Colocava-os à frente do meu corpo, para ela ver e ter uma ideia de como me fica.
- Maninha, tu vais jantar ou ter um encontro com o Tom Kaulitz! Não vais a uma reunião formal! – Ria-se do meu nervosismo
- Pois, tens razão mana…
- Olha, veste algo justo, para ele ver bem essas curvas, ó jeitosa! E se vestires um vestido, veste um justinho e curtinho!
- E se eu levar aquele vestido preto que eu comprei à pouco tempo? Aquele com decote e curtinho… -
procurava o vestido e, quando por fim o encontrei, mostrei-lhe – Este!
- Elá! Nunca o usaste, pois não? Não me lembro de te ter visto com ele… Nem de o teres comprado!
- Comprei na semana passada no Shopping, enquanto tu foste tomar café! E tu, já sabes o que vais vestir?
- Por acaso sei! Vou com um top rosa, calças e blazer preto! Ah, e sapato salto alto! Quer dizer, não sei se levo sapatos ou botas… Ou botins… Bem, eu vou-me arranjar e tal, mas primeiro vou ligar à Catarina para lhe contar!
- E eu vou buscar os fones do telemóvel, para falar com a Kätarina enquanto me arranjo! –
Corri até à mesa-de-cabeceira e peguei nos fones, ligando-os logo ao telemóvel, colocando-os nos ouvidos de imediato, ligando de seguida para a Kätarina. A minha irmã já estava no seu “palácio de roupa e calçado”, a falar com a Catarina ao telefone. Ela falava tão alto que eu até conseguia ouvir. – Estou, Kätarina?
- Olá! Então, já há notícias? –
Perguntava do outro lado da chamada, ansiosa por saber as novidades.
- É melhor sentares-te… Já estás sentada?
- Ai mãe, o que será que vem daí?! Ou estás no gozo comigo, ou é mesmo a sério! Vá, fala! Eu já me sentei!
- Eu e a minha irmã estamo-nos a arranjar porque daqui a nada vamos jantar fora…
- Sim, e…?
- … Com o Bill e o Tom –
Dizia com toda a calma do mundo, imaginando os gritos que iria ouvir não tarda nada.
- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! – Gritava histérica ao telefone, como eu já calculava.
- Ora bem, fazemos assim… Gritas para aí à vontade enquanto eu me dispo e visto o vestido, ok?
- Siiiiiiim! Aaaaaah! –
Continuava a gritar de forma histérica.
- Pousei o telemóvel com os fones no chão e rapidamente me despi e vesti o vestido, pegando logo no telemóvel e colocando novamente os fones nas orelhas – Já cá estou…
- Oh meu Deus! Eu nem acredito que vocês vão sair com eles! Isso é mesmo… Uau, que sorte pá! Bem, olha eu vou desligar, tenho de ir jantar, a minha mãe está a chamar-me… Boa sorte, e bom apetite!
- Obrigada linda! –
Sorria ao dizê-lo.
- É melhor levares preservativos! – Dizia rindo-se às gargalhadas.
- Hey, hey! Nós só vamos jantar, não o vou comer a ele mesmo! Calma aí!
- Sabe-se lá, pode ser que o encontro corra bem e em vez de acabar com o jantar, acabe com o pequeno-almoço! –
Ria-se às gargalhadas.
- Tu não me deixes ainda mais nervosa do que já estou! Não imaginas a pilha de nervos em que estou neste momento!
- Bem, eu tento imaginar, mas acho que nunca irei saber o que isso é! Vá, boa sorte! Tenho mesmo de desligar! Beijinhos!
- Beijinhos! –
Desliguei o telemóvel e continuei a arranjar-me. De repente, ouvi a voz da minha irmã chamar por mim. Peguei nos sapatos e fui a correr, descalça, ter com ela. Assim que lá cheguei, ela já estava toda arranjada. Maquilhada, cabelo arranjado, vestida, calçada, com os acessóriostodos… Não sei como é que ela consegue arranjar-se tão depressa, não sei. – Uau mana, estás perfeita!
- Achas mesmo? E a maquilhagem?
- Está óptima mana!
- Acessórios? Tenho demais? Pareço uma árvore de Natal? –
Perguntava olhando-se uma vez mais ao espelho.
- Não mana, está tudo excelente! Espera só um bocadinho…! – Corri até ao espelho, e acabei de me arranjar. Quando olhei para o relógio, eram 19:50h. De uma coisa eu tinha a certeza: Íamos chegar atrasadas.
- Vá, vamos mana! Eu conduzo! – Pegou rapidamente nas chaves do seu carro, descendo as escadas à pressa comigo, e entrando logo depois no carro.
- Chegámos apenas 5 minutos atrasadas, nada mau. A primeira coisa que vi quando olhei para o parque de estacionamento, foi um Audi R8. Podia até nem ser dele, pois não reparei na matrícula, mas pensei automaticamente no Tom. Entrei no restaurante com a minha irmã, e vi-os logo. – Mana, eles estão ali… - Disse um pouco nervosa ao avistá-los, sentados numa mesa para 4 pessoas.
- Eu disse-te que era mesmo ele, manita. Vá, tem calma, relaxa. – Sorriu para mim e logo depois começou a caminhar na direcção deles, comigo.
- Olá, boa noite rapazes! – Disse ao chegar à mesa, com um enorme sorriso, sentindo-me mais nervosa do que nunca. Normalmente costumam falar em borboletas no estômago, mas eu acho que não tinha borboletas, mas sim dinossauros. E não era fome, o que sentia.
- Nessie, ainda bem que vieste! – Dizia Tom extremamente feliz, levantando-se de imediato e cumprimentando-me, com dois beijinhos nas minhas bochechas rosadas. Ao fazê-lo, colocou a sua mão nas minhas costas. O meu coração batia tão, mas tão depressa…
- Olá! És a Sónia, certo? – Bill levantava-se e docemente cumprimentava a minha irmã, deixando-a passar, para que ela se sentasse no lado de dentro. – Estás muito bonita!
- Ah, muito obrigado Bill! –
A minha irmã ficou coradinha num instante, como é óbvio.
- Senta, linda! – Dizia Tom, deixando-me passar para o lado de dentro, ficando eu assim de frente para a minha irmã. – Estás divinal… - Sussurrava ao meu ouvido, acariciando uma das minhas mãos.


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

6 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 3:48 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Primeiramente, obrigado por esclarecer minhas dúvidas Nessie! Wink

Irmãs sortudas essas não?! Uma conhece os meninos, e logo já sai pra jantar com o Tom, e ainda leva a irmã! Eu tambéééém quero conhecê-los!

Com esse vestido, acho que a Kätarina está certa... Nessie tinha que levar preservativo! haahauahauaha

O Tom e o Bill parecem bem queridos!

Estou curiosa pra saber o que vai acontecer no jantar!
Continue!

Ver perfil do usuário

7 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 4:38 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Primeiramente, obrigado por esclarecer minhas dúvidas Nessie! Wink

Irmãs sortudas essas não?! Uma conhece os meninos, e logo já sai pra jantar com o Tom, e ainda leva a irmã! Eu tambéééém quero conhecê-los!

Com esse vestido, acho que a Kätarina está certa... Nessie tinha que levar preservativo! haahauahauaha

O Tom e o Bill parecem bem queridos!

Estou curiosa pra saber o que vai acontecer no jantar!
Continue!

Não tens nada que agradecer! Sempre que tiveres dúvidas basta perguntar, que eu respondo! ;D
Vou já já postar o próximo, espero que goste Smile
Muito obrigado pelo comentário!

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

3º - Estou no céu?


- O-obrigado Tom… - dizia olhando-o nos olhos e percebendo que estava a ser sincero comigo, contrariamente do que eu estava a pensar.
- Não tens de agradecer, linda. Bem meninas, o que é que querem comer? – fizemos rapidamente os pedidos, e tanto eu como a minha irmã puxámos logo das nossas carteiras e, por ironia, ambas pegámos numa nota de 20€ - Para que é que é as notas? – perguntava Tom, rindo-se
- Para pagar! – Dizia pondo-lhe a nota numa das mãos, à força.
- Estás tola?! Quem paga o teu jantar sou eu! – Colocava a nota nas minhas mãos – Agora o da Sónia não sei… Como o meu irmão é um idiota chapado, não te deve pagar nada… - Olhava para o irmão, fazendo-lhe uma cara estranha.
- Opá, mas tu já estás a começar? Se fosses mas é levar no…
- Oi, oi, então? –
interrompia o irmão – Que educação é essa? – fazia cara séria para Bill.
- É a que tu me deste, maninho! – Sorria-lhe, no gozo.
- Ai Bill, tens tanta piada que eu até estou a rebolar pelo chão de tanto rir. Vens comigo para me ajudares a trazer as cenas?
- Sim, vou. Até já meninas! –
Levantou-se e foi de imediato com o irmão, deixando-me a sós com a minha irmã.
- Oh meu eus, estes dois são demais! Estão sempre a meter-se um com o outro! – Dizia a minha irmã às gargalhadas, tentando controlar-se para não fazer figuras espalhafatosas.
- Aham… - Dizia olhando no vazio, pensando no Tom. Sempre tive uma grande paixão por ele, e parece que a cada segundo que estava a passar a um centímetro dele, se estava a agravar.
- Estás bem…? – A minha irmã apercebeu-se logo de imediato a razão de eu não lhe estar a prestar atenção nenhuma – Ui, o Tom está-te a dar a volta à cabeça, é maninha?
- Assim que a ouvi proferir o nome dele acordei para a vida – Hã? O quê mana?
- Pois, pois, estou a ver que sim! –
Dizia olhando para mim e rindo-se, enquanto eu estava a tentar perceber o que é que se estava a li a passar e porque é que ela se estava a rir.
- Ó mana, diz-me lá o que é que estás para aí a dizer, que eu já não estou é a perceber nada!
- Estás ainda mais apaixonada pelo Tom, não estás? Estás aí muito pensativa, e com sorrisinhos que eu bem conheço!
- Ó mana, tu sabes que eu sempre gostei dele… E ouvi-lo dizer que estou divinal, olhando-me nos olhos… Ele parecia estar a falar mesmo a sério mana!
- Dizia com um grande sorriso.
- Claro que estava a falar a sério! Ele gostou de ti assim que te viu no Meet&Greet, manocas! – Olhava para eles, reparando que já aí vinham com a comida – Eles vem aí mana! – Avisava-me.
- Já estão de volta? – Perguntava olhando só para Tom com um enorme sorriso, pegando no tabuleiro com comida que ele trazia para mim, além do dele.
- Sim, linda, por acaso foram rápidos! Tiveste saudades minhas? – Olhava-me nos olhos sorrindo, piscando o olho logo a seguir. Sentou-se novamente ao meu lado, e sussurrou algumas palavras ao meu ouvido – Eu tive saudades tuas…
- Bill apreciava o irmão espantado, sussurrando depois ao ouvido da minha irmã – Nunca o vi assim tão querido para nenhuma rapariga! Fui só eu, ou tu de repente também te sentiste tipo vela?
- Não, não foste só tu! Estão ali todos melosos um para o outro! –
Dizia a minha irmã sorrindo para Bill
- Vamos ali para aquela mesa! – Dizia-lhe, apontando para uma mesa vazia ali perto – Pode ser, Sónia?
- Claro! Antes que ainda comecem ali aos beijos…! –
Dizia a minha irmã um pouco mais alto, para que nós parássemos com os sussurros e ouvíssemos o que eles estavam a dizer.
- Vais sair desta mesa, puto? – perguntava Tom ao seu irmão gémeo
- Claro! Eu e a Sónia já nos sentimos tipo velas ao pé de vocês! – Dizia já em pé e com o tabuleiro na mão, rindo-se para o irmão e afastando-se, indo com a minha irmã para a outra mesa.
- Tão totó este meu maninho!
- Tu adoras estar sempre a meteres-te com ele, não adoras?
- Adorar é pouco! Eu amo meter-me com ele! –
Ambos nos rimos com a idiotice, não só dele, mas também do irmão.

Mais ou menos meia hora depois, acabámos de comer. Sim, demorámos esse tempo todo porque falámos imenso pelo meio. Ele foi sempre muito querido comigo, nunca imaginei que ele fosse assim. Imaginava que o Bill é que era querido, e o Tom aquele moço pervertido e engatatão que todas adoram. Mas se calhar enganei-me, e o Tom também é querido quando que. Não é “se calhar”, é mesmo. Ele acabava de me confirmar isso. Calámo-nos por uns segundos, e reparámos que o irmão dele e a minha irmã já tinham acabado de jantar e estavam muito divertidos, às gargalhadas. Foi então aí que o Tom me perguntou algo.

- Estava aqui a pensar… - Olhava para o tabuleiro, como se estivesse com receio de me olhar nos olhos, com receio de algo, não sabia explicar, não sabia o que viria a seguir
- Sim, Tommie? – Perguntava-lhe olhando-o carinhosa, esperando que continuasse e me dissesse o que estava a pensar
- Aceitas vir comigo ao cinema? – Olhava-me nos olhos, ansioso que eu respondesse alguma coisa.
- Claro que aceito, Tommie! Mas com uma condição… - Virei a cara para ele não me ver a rir, estava a brincar com ele
- Diz-me, linda… Por ti faço tudo, princesa… - Dizia as últimas cinco palavras quase num sussurro, acariciando-me a mão direita delicadamente.
- Só vou se formos ver aquele filme de terror que estreou hoje! – Dizia sorrindo, olhando para ele extremamente corada, e feliz
- Ainda bem que queres ir ver esse! Estava com medo que quisesses ir ver daqueles filmes românticos!
- Eu não tenho paciência para esses filmes, Tom! –
Ria às gargalhadas com ele
- Nem tu nem eu! Bem, é melhor irmos andando para o cinema, pode ser que ainda consigamos arranjar bilhetes!
- Vamos lá então!


Sentia-me tão, mas TÃO feliz. Tinha jantado com o Tom, e agora ir ver um filme de Terror com ele? Será que há melhor do que isto? Estou no céu? Meu Deus, o que este rapaz me faz… Enfim, fomos ter com o Bill e com a minha irmã e dissemos-lhes que íamos ao cinema. Parecia que não éramos os únicos que tínhamos planos, o Bill também tinha convidado a minha irmã para ir à casa dele, para jogarem Wii. Não sei porquê, mas tinha na cabeça que o rapaz não queria só jogar Wii com ela, se é que me entendem. Fomos então para o cinema, e quando chegámos à bilheteira, a moça que lá estava disse-nos que já não havia bilhetes. Que azar! O Tom decidiu irmos para o carro, e levou-me para um sítio que eu desconhecia completamente. Era tipo, um campo, que era iluminado apenas pela Lua Cheia que ali estava naquela noite de Verão. Saímos do carro e fomos os dois para aquele “campo”, e ali nos sentámos, no chão.

- Está uma noite tão linda! Eu não conhecia este sítio, é mesmo lindo, Tommie!
- Pois é… Mas mesmo assim, tu és muito mais linda do que está noite –
Sem eu me aperceber, os seus lábios estavam muito perto dos meus, e quando dei por mim, já estava a beijá-lo
- Tom… - Sussurrei olhando-o nos olhos, aproximando o meu corpo ainda mais do dele
- Desculpa… Desde que te vi que não consigo parar de pensar em ti e…!
- Shh… -
Calei-o da forma mais simples: retribuí-lhe o beijo. Mas este já foi mais prolongado.
- Nessie, tu…


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que tenham gostado e que comentem ;D
Obrigada e beijinhos ♥️

Ver perfil do usuário

8 Re: Contagious Love em Ter Nov 27, 2012 8:02 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Tom está um fofo!

Pelo visto Tom e Nessie estão se dando muito bem, será que vai rolar um namoro?

Acho que o Bill só inventou a desculpa de estar ele e a Sónia de vela, para poder ficar sozinho com ela! Acho que rolou um clima entre esses dois!

Tom levando Nessie pra lugares desertos e bonitos! Safadinho!

Continue! Wink

Ver perfil do usuário

9 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 12:41 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Tom está um fofo!

Pelo visto Tom e Nessie estão se dando muito bem, será que vai rolar um namoro?

Acho que o Bill só inventou a desculpa de estar ele e a Sónia de vela, para poder ficar sozinho com ela! Acho que rolou um clima entre esses dois!

Tom levando Nessie pra lugares desertos e bonitos! Safadinho!

Continue! Wink

Hum, será que vai mesmo rolar namoro? Não sei o:
É, eu também acho que Bill fez isso de propósito o;
O Tom é mesmo um safadinho! xD
Obrigado por comentares! Aqui vem o próximo Very Happy

AVISO: O capítulo que se segue possui conteúdos sexuais.

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

4º - Oh Bill…


[ Sónia ]

O Bill, tal e qual como eu sempre imaginei, é muito simpático e querido. O jantar foi espectacular, falámos bastante, rimos bastante, enfim, adorei. Ele faz-me sentir tão bem, é fantástico sentir-me assim, com ele. Mesmo antes de acabarmos de jantar, ele convidou-me para ir a casa dele, para jogarmos Wii. Como é lógico, nem pensei duas vezes e aceitei logo. Acabámos mesmo agora de chegar, deixei-o conduzir o meu carro. Tentei não ir o caminho todo a olhar para ele, mas foi complicado. Ele até a conduzir é atraente, não sei, nem sei explicar.

- Sónia?
- Sim, Bill! –
Olhava para ele de imediato, acordando dos meus pensamentos
- Estás bem? Estavas um bocado pensativa…
- Está tudo bem Bill, tudo óptimo! –
Dizia fazendo um sorriso enorme
- Ainda bem! Olha, eu tenho a Wii no meu quarto… O que preferes? Jogar lá ou aqui na sala?
- Por mim podemos jogar no teu quarto! A não ser que não queiras que eu vá ao teu quarto, isso já é outra coisa… -
dizia olhando em meu redor, apreciando por uns meros segundos a sala
- Achas? Aliás, é uma honra ter uma deusa no meu quarto! – Corava ao dizê-lo, olhando para mim docemente
- Oh Bill… Não exageres! – Sorria aproximando-me dele, quase que provocando-o
- Não estou a exagerar, só estou a dizer a verdade, linda – Olhava-me com aquele olhar provocador que ele sabia fazer muito bem
- Hum, ainda bem… Sendo assim, obrigado, fofo – Sorria, já bem próxima dele, olhando-o nos olhos
- Eu… Eu… Eu posso dizer uma coisa? – Perguntava-me um pouco envergonhado
- Sim, estás à vontade!
- És tão linda, tão perfeitinha, tão… Não há palavras para descrever o quão espectacular és, e… -
Aproxima-se ainda mais de mim, ficando a escassos centímetros dos meus lábios
- E? – Olhava-o seriamente nos olhos
- E eu não consigo resistir. – Rapidamente me puxou para ele e beijou-me de imediato. Foi um beijo longo e quente, cheio de paixão.
- Bill… - Dizia num sussurro, olhando-o nos olhos
- Desculpa, desculpa… - Baixava a cara lamentando-se do sucedido
- Desculpo o quê? Não há nada para desculpar, Bill – Dizia-lhe sorrindo, colocando as minhas mãos na nuca dele
- Não? Não faz mal eu ter-te beijado? Eu sei que mal nos conhecemos, mas tu és tão… E eu não consigo, e…!
- Shh! –
Interrompi-o com mais um beijo apaixonado
- Bill pegou rapidamente em mim ao colo e levou-me para o seu quarto, deitando-me na sua cama enorme – Eu quero-te tanto, Sónia… - Despia-me o blazer enquanto me beijava o pescoço, colocando depois as suas mãos por baixo do meu top
- Eu também te quero Bill, e muito! – Despi-lhe a camisa preta que ele tinha vestida, enquanto o beijava louca e apaixonadamente, e ele subia as suas mãos, por baixo do top, até aos meus seios, massajando-os
- Tens a noção que és a única que me deixa neste estado? – Sussurrava-me ao ouvido, mordendo-me levemente a orelha, e despindo o meu top
- A sério, amor? – Perguntava olhando-o de forma provocadora, tirando o soutien e aguardando a sua reacção
- Sim, minha deusa! – Sorria ao ver a minha expressão, beijando e lambendo os meus seios, de tal forma que me estava a deixar bem doida
- Bill! – Soltei um pequeno gemido e inclinei a minha cabeça um pouco para trás, começando a desapertar-lhe o fecho das calças e, por fim, tirando-as
- Sim? Eu sei que gostas! – Sorria perversamente, tirando-me as calças rapidamente e beijando cada centímetro da minha pele
- Pois gosto, amor… - Sussurrava gemendo. Ele estava-me a deixar bem doida, o desejo de o sentir em mim, ou melhor dentro de mim era cada vez maior, não o posso negar
– Estás-me a deixar de tal maneira! – Confessava-lhe, sorrindo
- Ainda bem, ainda bem! – Sorria retirando a peça de roupa que restava, tanto a dele, como a minha. Sim, num instante estávamos completamente nus – Espera só um bocadinho, linda, vou só pôr o preservativo – Dizia olhando-me um pouco corado.
- Está bem amor! – Sorria ao ver o seu membro, já excitado
- Virou-se de costas e rapidamente colocou o preservativo, voltando-se para mim depois. Voltou a pôr-se em cima de mim, deixando que o seu membro roçasse no meu – Eu não sei se consigo resistir muito mais… - Confessava
- Então não resistas, faz amor comigo! – Dizia com um tom de voz sensual, puxando-o para mim e beijando-o loucamente
- Claro que faço princesa! – Rapidamente me penetrou, com todo o cuidado. Fazia movimentos lentos, massajando os meus seios
- Oh Bill! Mais depressa amor, mais! – Pedia gemendo, reparando que ele estava desejoso de acelerar os seus movimentos
- Com certeza princesa! – Dizia entre gemidos baixinhos, acelerando mais um pouco os seus movimentos – Ooh meu Deus, como tu me deixas amor!
- Não… Tu é que me deixas louca! –
Gemia cada vez mais alto, colocando as pernas em volta das suas costas e puxando-o para mim, fazendo-o penetrar-me mais profundamente – Oh céus!!
- Ai é assim que tu queres? –
Questionava-me, olhando-me nos olhos com um sorriso perverso, acelerando ainda mais os movimentos
- É amor, é! Isso, isso! – Gemia com e por ele que nem louca, ansiosa por mais e mais
- Oh minha doida! – Penetrava-me rápida e profundamente, agarrando as minhas pernas com força e gemendo cada vez mais alto
- Isso meu amor, isso! Dá-me tudo amor, dá-me tudo! – Gritava louca de prazer, movendo-me com ele e agarrando-me ao lençol de seda da sua cama
- Eu dou-te tudo meu amor, tudo! – Movia-se comigo freneticamente, já completamente descontrolado, dando-me tudo o que conseguia. E assim continuámos durante as duas horas seguintes, até que finalmente sentíamos o clímax aproximar-se – Amor, eu estou quase!! – Gritava louco de prazer
- Eu também meu amor.. Oooh céus, isso amor não pares! – Gritava que nem uma louca, com os dentes ferrados no meu lábio inferior
- Anda amor, isso! Estamos mesmo quase! – Gritava por mim, agarrando as minhas mãos com imensa força
- Aii amor, anda, anda!! – Pedia-lhe completamente descontrolada, sentindo o clímax aproximar-se cada vez mais depressa
- Isso amor, isso!! É agora amor!! – Gritava, penetrando-me freneticamente, dando-me tudo o que conseguia e atingindo o clímax ao mesmo tempo que eu. Assim que terminámos, deitou-se ao meu lado, ofegante.
- Amor… Como é que tu consegues ser tão perfeito? – Perguntava-lhe tentando normalizar a respiração, ainda agarrada a uma das suas mãos
- Tu é que és perfeita, não eu! Eu não sei se é a melhor altura, ou se deva ser já, mas…
- Mas o quê Bill? Diz-me!
- Aceitas ser a minha namorada? –
Perguntava ainda ofegante, e com um enorme sorriso
- Claro meu amor! Claro que siim!! – Dizia extremamente contente, beijando-o apaixonadamente logo de seguida


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

10 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 2:24 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
affraid Oh Meu Deus! Que rápido esses dois!

Acabaram de se conhecer e já vão para a cama!
Estou assusta com esse Bill! Shocked

Mas foi fofinho ele pedindo ela em namoro!

Se com eles já foi assim, imagina com o Tom e a Nessie!

Continue!

Ver perfil do usuário

11 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 3:28 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu: affraid Oh Meu Deus! Que rápido esses dois!

Acabaram de se conhecer e já vão para a cama!
Estou assusta com esse Bill! Shocked

Mas foi fofinho ele pedindo ela em namoro!

Se com eles já foi assim, imagina com o Tom e a Nessie!

Continue!

Normalmente o Tom é que costuma ser assim rapidinho né?
Ai esse Bill..! xD
Obrigada pelo comentário Very Happy


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

5º - Amo-te!


- Ainda agora começámos o nosso namoro, e já me fazes o homem mais feliz do mundo amor! – Sorria ao dizê-lo, percorrendo a minha barriga com os seus dedos perfeitos
- Oh amor, não digas isso! Eu só uma rapariga normalíssima, não tenho nada de especial que te faça sentir tal coisa.. – Dizia olhando para o tecto
- Mas se eu digo, é porque é verdade, princesa! – Beijava-me de imediato, com ternura
- Pronto meu príncipe, se tu o dizes, eu acredito! – Sorria ao vê-lo tão feliz comigo. De repente, dei uma gargalhada
- O que foi meu amor? – Perguntava curioso, esperando que eu lhe contasse
- Lembrei-me da minha irmã amor…
- E o que tem a tua irmã, princesa?
- O que tem? Está com o teu irmão, o tão famoso Sex Gott! –
Ria às gargalhadas
- Ah, o Viagra Man! – Ria às gargalhadas comigo
- Mas porque raio é que ele se enfrascou disso?! – Perguntava tentando parar de rir, o que estava a ser extremamente difícil
- Eu sei lá, nem eu sei, e acho que nem ele próprio sabe! Sabes como ele é, estava com três gajas, e queria impressioná-las!
- Oh meu Deus! Ele é doido! –
Ria às gargalhadas, começando a chorar de tanto rir
- Calma amor! – Limpava as minhas lágrimas – Enfim, é estúpido o que é que tu queres?
- Eu só não quero que ele seja estúpido com a minha irmã, percebes?
- Oh, ele não lhe vai fazer nada amor… Quer dizer, tipo, algo que não a magoe… Oh meu deus, estou-me a enterrar todo, não estou? Que não magoe o sentimento dela!
- Opá, só tu para me fazeres rir amor! –
Ria novamente às gargalhadas – Amor, estou a ficar com soninho… Importas-te que eu…?
- Achas amor? Claro que não me importo! –
Beijava-te docemente a testa, acariciando o meu cabelo – Mesmo que eu não tenha sono, eu fico a ver-te dormir meu anjo!
- Oh meu amor, tão querido! –
Sorria-lhe, com olhos pequeninos, devido ao sono
- Sou querido sim meu anjo, mas é só para ti!

Penso que estas foram as últimas palavras que ele me disse nesse dia. Quer dizer, se calhar até nem foram, eu é que adormeci logo de imediato. Assim que acordei, reparei no relógio que estava numa das mesas-de-cabeceira dele, informava-me de que eram 11:53h. Já era um bocadinho tarde, visto que eu não sabia nada da minha irmã, se estava bem, se estava em casa, se estava perto de mim no quarto do Tom, se estava noutro sítio qualquer… Nada, não sabia de nada mesmo. Entretanto lembrei-me de olhar para o telemóvel, e reparei que tinha uma mensagem, da minha irmã. Dizia o seguinte: Mana, vou com o Tom para um hotel! Está tudo bem, e espero que contigo também Smile Beijinhos, adoro-te muito mana <3 . Para um Hotel? Com o Tom? Meu Deus, é melhor parar os pensamentos por aqui! O meu querido namorado estava a dormir que nem um anjo, por isso decidi descer até à sala e ligar à minha irmã.

- Estou? – Dizia a minha irmã, do outro lado da chamada
- Ora muito bom dia! Então mana, como correu a tua noite? – Perguntava curiosa
- Muito bem mana! – Falava num tom baixo
- Passa-se alguma coisa, mana? Estás a falar baixinho…
- Não mana, é só o Tom que está a dormir e eu não quero acordá-lo! Está cansado, se é que me entendes… Até eu estou cansada, quanto mais ele! –
Ria baixinho
- Opá, estou a ver que houve festa para esses lados!
- Se houve mana! Então e por aí? Houve alguma coisa ou ficaram-se só pelos jogos?
- Mas tu achas mesmo mana? Nem sequer vi a Wii, quanto mais jogar! –
Ambas começámos a rir
- Bem, ainda bem que está tudo bem mana!
- Digo o mesmo… -
Dizia olhando para Bill, que descia as escadas – Bem mana, eu vou desligar… Falamos mais logo sim? Adoro-te querida!
- Também te adoro maninha! –
Desliguei o telemóvel e coloquei-o em cima da pequena mesa que estava ali perto. Rapidamente fui ter com Bill, ainda meio ensonado, e dei-lhe um beijo, desejando-lhe um bom dia – Dormiste bem amor?
- Claro que dormi meu amor, contigo a meu lado eu durmo extremamente bem! –
Sorria ao dizê-lo, retribuindo-me o beijo logo de seguida – Amor, vou tomar banho… Queres vir comigo? – Perguntava tímido
- Claro que sim meu amor! Desculpa ter-te roubado esta manta, mas foi só para tapar o meu corpo enquanto aqui estava, podia estar alguém cá em casa…
- Oh, não faz mal amor! O meu irmão não está cá? –
Perguntava olhando para o andar de cima
- Não amor, ele está com a minha irmã num hotel. Pelo menos foi o que ela me disse numa mensagem que me enviou – Dizia agarrada a ele, beijando-lhe o pescoço
- Está bem meu amor, vamos lá tomar um banhinho! – Sorria, pegando em mim ao colo e levando-me até à casa de banho. Ligou a torneira e segundos depois entrámos para a banheira - Amo-te tanto meu amor! – Sussurrava ao meu ouvido, beijando-me o pescoço, abraçando-me por trás.
- Eu também te amo muito meu amor! Mas… Não era suposto tomarmos banho? – Sorria ao dizê-lo
- Oh amor, deixa lá, uns beijinhos não fazem mal a ninguém, pois não?
- Claro que não meu amor!
- A não ser que a minha deusa perfeita não queira uns miminhos logo pela manhã… -
Dizia baixando a cara
- Estás a gozar, amor? Eu quero que me dês miminhos a toda a hora, sim? – Beijava-o novamente, com paixão e ternura
- Hum, ainda bem meu amor!

Foi difícil conseguirmos tomar banho em condições, pois estávamos constantemente a trocar beijos e carícias. É difícil ficar quieta ao lado do meu namorado! Ele é tão sensual! Mas pronto, lá acabámos de tomar banho, e quando nos estávamos a secar, ouvimos alguém a entrar em casa. Deveria ser o Tom com a minha irmã, ou sozinho. Bill vestiu-se rapidamente, e eu fiz a mesma coisa. Rapidamente descemos as escadas e vimos Tom e Nessie no sofá, aos beijos. Não era aos beijinhos nem aos beijos, era mais aos beijões. Não a posso julgar, pois eu com o Bill sou tal e qual.

- Bom dia pombinhos! – Dizia olhando para eles, tão coladinhos um ao outro
- Bom dia para vocês também! – A minha irmã sorria ao ver que eu e Bill estávamos de mão dada
- Até parece mentira, mas de repente formaram-se dois casais! – Tom ria-se meio no gozo
- Epá, és estúpido logo pela manhã! – Dizia Bill fazendo cara séria ao irmão
- Sabes como é maninho. Bem, nós viemos aqui para vos perguntar pessoalmente se querem vir almoçar connosco…
- Tom, não sejas tão mentiroso! Vieste aqui para ver como estão as coisas entre mim e a Sónia! Até parece que não te conheço, ó cusco.
- Pois, se calhar o problema é mesmo esse… Como é, vêem connosco ou nem por isso? Tenho muito que fazer Bill!
- Ah sim? Tipo o quê, Tom?
- Dar muitos miminhos à minha namorada! –
Sorria olhando-me nos olhos e passeando a sua mão pela perna da minha irmã
- Pois, estou a ver que sim… Nós ficamos por casa, eu vou cozinhar para a minha princesa! – Beija-me carinhosamente de imediato, fazendo um sorriso muito fofinho.
- Hum, até já estou ansiosa pelo almoço amor! – Dizia sorrindo
- Ui, é melhor irmos embora antes que a casa ainda comece a arder amor… - Dizia para a minha irmã num tom de gozo – Vamos amor!
- Isso, xauzinho! –
Bill revirava os olhos e beijava-me de novo

[ Nessie ]
- Saímos rapidamente de casa, e entrámos no seu Audi R8 – Amor, onde vamos?
- É surpresa amor, não posso dizer por enquanto! –
Sorria, olhando-me nos olhos, piscando o olho e passeando a sua mão pela minha perna esquerda.


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

12 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 4:33 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Bill e Sónia assanhadinhos não?! Rolling Eyes
Pelo visto vai ser difícil eles se largarem!

Onde o Tom vai levar a Nessie?! Hmm...

Continue!

Ver perfil do usuário

13 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 4:47 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Bill e Sónia assanhadinhos não?! Rolling Eyes
Pelo visto vai ser difícil eles se largarem!

Onde o Tom vai levar a Nessie?! Hmm...

Continue!

É mesmo, eles não se largam! Está complicado!
Vamos ver onde ele a leva...
Obrigado pelo comentário Very Happy

AVISO: O capítulo que se segue possui conteúdos sexuais.

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

6º - Oh Meu Deus!


- Amoooor, diz-me lá onde vamos! – Olhava para ele com grandes olhos, enquanto ele começava a conduzir
- Princesa, eu disse-te que já vais ver, sim? – Levava a sua mão até ao meu intimo, massajando-o por cima das cuecas
- Ai amor! – Soltava um pequeno gemido, fechando os olhos por meros segundos – Não te chegou a noite toda, meu maluco? – Olhava para ele com um sorriso perverso, provocando-o
- Não amor, quero-te assim comigo para o resto da minha vida. – Dizia sério, retirando a sua mão do sitio onde esta e olhando-me depois nos olhos, enquanto conduzia
- Amor, cuidado, olha para a estrada! – Afirmava com um pouco de medo
- Calma boneca, está tudo controlado. – Mesmo sem estar a olhar para a estrada, parou assim que chegou ao semáforo vermelho
- Como é que tu fizeste isso, amor? – Perguntava espantada
- Sei lá amor! Eu sou naturalmente espectacular, não é? – Dizia num tom de gozo, sorrindo para mim e beijando-me enquanto arrancava e acelerava de novo, chegando aos 100km/h num ápice
- Não sejas assim, não te ponhas com coisas radicais e perigosas…
- Então porquê, amor? –
Perguntava mexendo no seu piercing do lábio inferior com a língua
- Tu sabes bem porquê, deixas-me alterada…
- Alterada não amor. É excitada que se diz! –
Sorria ao dizê-lo
- Sim amor, isso mesmo! – Corava um pouco ao admitir
- Deixa lá amor, não fiques assim. Tu sabes perfeitamente que eu amo quando ficas assim, louca e desejosa por me sentir dentro de ti – Olhava-me com aquele olhar provocador que só ele sabe fazer
- Ai amor, pára… - Dizia ao sentir-me já um pouco excitada, virando a cara para o outro lado. Bem lá no fundo não queria que ele parasse, não.
- Devia ter trazido o meu Cadillac, não era amor? Estacionava o carro num sítio onde não passasse muita gente e era logo ali. – Olhava-me sério, estacionando o carro na perto de um edifício e voltando a colocar a sua mão no meu intimo, começando a massajá-lo de novo
- Tom, pára, estás a deixar-me louca!
- Não paro. Tu queres-me muito, confessa. Eu sei, eu sinto-o.
- Vamos ficar aqui no carro? Estão pessoas a passar na rua, amor –
Dizia corada
- Não amor, vamos para o meu apartamento. – Saía rapidamente do carro e abre a minha porta, esperando que eu saísse, e fechando-a depois. Fomos a correr para o elevador, e chegámos num ápice ao seu apartamento. Mal ele fechou a porta, eu empurrei-o contra a parede – Confessa amor, já estás meia doida.
- Mas é preciso eu confessar isso? Não se nota amor?
- Nota amor, pelo menos eu noto, e é isso que interessa. Queres beber alguma coisa amor?
- Tens Vodka Preta?
- Já amor? A estas horas?
- É só um bocadinho amor, prometo.
- Está bem princesa… -
Tom foi rapidamente buscar a garrafa da tal bebida alcoólica que lhe tinha pedido, dando-ma para as mãos
- Ao beber pela garrafa, deixei algumas gotas cair para o decote. Pousei a garrafa na mesa da cozinha, e olhei para o decote. De repente, Tom pega em mim ao colo, senta-me na bancada da cozinha, e começa a lamber as gotas que Vodka Preta que tinham caído para o meu decote – Ai amor…! -Sussurrava ao seu ouvido
- Queres que pare amor?
- Não. Quero que continues!
- Bem me parecia, bebé. Mas tenho um pequeno problema, princesa…
- Qual amor? –
Perguntava olhando-o nos olhos
- Esqueci-me de trazer preservativos. – Olhava sério
- Oh, deixa lá amor.
- Mas amor…
- Babe, não vai acontecer nada, okey? É só esta vez amor. –
Dizia puxando o vestido para cima e retirando calmamente as minhas cuecas
- Está bem amor. Ó céus, já estás assim?
- Claro amor, estou à tua espera. –
Sorria perversamente ao dizê-lo.
- Muito bem, se é isso que tu queres… - Despia-se da cintura para baixo num ápice, e penetrava-me logo, começando de imediato com os movimentos rápidos e profundos.
- Ai amor, isso! – Gritava de imediato por ele, movendo-me rapidamente com ele, e arranhando as suas costas com imensa força

Hey, não vou estar a contar os pormenores todos, okey? Quando acabámos eram 17:02, segundo o Rollex do Tom. Man, ele deixa-me tão… Adiante! Tanto ele como eu não tínhamos almoçado, e ambos tínhamos imensas chamadas perdidas e mensagens nos nossos telemóveis. Arranjámo-nos e fomos para a sala, ver os nossos telemóveis.

- Meu deus, tenho 13 mensagens da minha irmã, e 19 chamadas! Ela deve estar preocupadíssima comigo! – Dizia olhando preocupada para as mensagens que a minha irmã me tinha enviado.
- Liga-lhe amor. Eu vou só mandar uma mensagem ao meu irmão a dizer que está tudo bem, e que estava ocupado contigo. Como se ele não soubesse, mas pronto!
- Oh, ele saber sabe, mas tanto ele como a minha irmã ficaram preocupados na mesma. Já reparaste que já são cinco da tarde e nós nem sequer almoçámos? –
Olhava para ele rindo
- Desculpa amor… Queres comer alguma coisa? – Perguntava-me preocupado
- Não amor, não tenho fome – Dizia sincera
- Amor, então? Tens de comer!
- Não me apetece amor, não tenho fome!
- Pronto está bem, não insisto… Mas assim que sentires fome diz amor! Eu preparo-te alguma coisa para comeres –
Olhava-me querido ao dizê-lo, beijando-me com ternura e paixão. Instantes depois, a campainha começou a tocar. – Mau, mas quem será? – Resmungava Tom olhando para a porta.


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

14 Re: Contagious Love em Sex Nov 30, 2012 6:40 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Que fogo esse do Tom e Nessie não?!
Opa! Algo me diz que essa "noite" sem camisinha vai dar em algo! Rolling Eyes

Oh! Quem será na porta?!

Continue!

P.S.: Nessie, pela sua fic ter cenas de sexo, ela deve ficar na categória pra maiores de 18 anos. Então vou mover ela pra lah ok?!

Ver perfil do usuário

15 Re: Contagious Love em Qui Dez 13, 2012 10:37 am

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Que fogo esse do Tom e Nessie não?!
Opa! Algo me diz que essa "noite" sem camisinha vai dar em algo! Rolling Eyes

Oh! Quem será na porta?!

Continue!

P.S.: Nessie, pela sua fic ter cenas de sexo, ela deve ficar na categória pra maiores de 18 anos. Então vou mover ela pra lah ok?!

É, o Tom está muito caliente! kkkk
Vamos já ver quem é!
Obrigado pelo comentário Very Happy
P.S.: Está bem, não faz mal Very Happy
Beijinhos ♥️

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

7º - Estou a brincar, calma!


[ Sónia ]

- Que queres fazer, meu amor? – Perguntava-me, olhando-me querido e acariciando o meu cabelo, meio despenteado
- Não sei meu amor, tens alguma ideia?
- Bem… Nós supostamente ontem íamos jogar na Wii, mas nem olhámos para ela! –
Rimo-nos os dois às gargalhadas.
- Vá, foi por uma muito boa causa amor – sorri, piscando-lhe o olho
- Se foi meu amor! Queres ir jogar? Mas olha que… Eu sou mesmo muito bom, principalmente no bowling…
- Ui! Estou para ver isso! Vamos lá jogar! Mas estou com uma sensação que vais levar uma abada! –
Ria-me, correndo até às escadas, parando e olhando para trás, esperando pela sua reacção
- Andas a fugir de mim, é amor? – Levantou-se rapidamente do sofá, e foi a correr na minha direcção
- Oh não! Ele vai apanhaaaar-meeee! – Fazia cara estranha ao vê-lo a aproximar-se, começando a subir as escadas a correr
- Oh amor, tem calma, olha que ainda cais! – Dizia preocupado, correndo atrás de mim
- Estou a brincar amor, calma! – Parava a meio das escadas, virando-me de frente para ele
- Estou calmo meu amor, só não quero que te aconteça algo de mal princesa – Aproxima-se de mim e beija-me carinhosamente
- Nada de mal me acontece quando estás comigo meu amor, és o meu anjinho da guarda, sabes? – Disse olhando-o querida, e retribuindo o beijo
- Oh minha princesa! Fazes-me tão feliz meu amor! – Sorria acariciando as minhas faces rosadas e olhando-me nos olhos
- E tu a mim meu amor! Isto não é um sonho pois não amor? – Perguntava olhando querida
- Claro que não meu amor! É pura realidade meu anjo! – Pega em mim ao colo e leva-me até ao seu quarto
- Oh meu amor, obrigado! És tão querido meu príncipe!
- Pois sou meu amor, mas só sou assim para ti meu amor. Nunca amei tanto ninguém como te amo a ti, minha estrelinha!
- Não sejas mentiroso amor. Então e a tua mãe, o teu irmão e o resto da tua família amor? Não os amas? –
Olhava para ele com cara séria
- Oh amor, claro que sim! Mas é um amor completamente diferente, não tem nada a ver princesa… Quer dizer… Tu achas que eu amo aquele parvo, a quem chamo de irmão? – Fazia uma careta estranha, no gozo
- Claro que o amas! Se não o amasses, não te estavas sempre a meter com ele, nem estavas preocupado por ele não te responder há horas! – Dizia rindo-me às gargalhadas
- Nem sei porque é que estou preocupado… Até parece que nem sei que ele está ocupado com a tua mana…
- Desde que se protejam e não façam bebés…! –
Dizia entre risos, começando a chorar de tanto rir
- Ahahaha, credo amor! Ainda é cedo para eles fazerem bebés!
- Mas um dia… -
Acabo a frase por ali, olhando-o com grandes e brilhantes olhos
- Um dia meu amor, eu dia seremos papás, e os nossos filhos serão tão perfeitinhos como a mamã – Dizia docemente, beijando-me com todo o carinho e amor
- E como o papá! Já nos imaginas com um filho amor?
- Siiiim! –
Dizia todo entusiasmado, segurando as minhas mãos – Mas antes disso, imagino-te a caminhar até mim, vestida de noiva…
- Ó amor! Tão fofo, eu amo-te tanto! – Beijei-o apaixonadamente
- Eu também te amo muito amor! Acho que é melhor começar já a pedir desculpa… - Dizia sorrindo, olhando para outro lado, deixando-me curiosa com o que tinha acabado de dizer. Não estava a entender porque razão é que ele teria de me pedir desculpa…
- Desculpa de quê amor? Não fizeste nada de mal amor!
- Agora não fiz amor… Mas depois no dia em que casarmos, eu vou chorar muito! Eu sou sensível amor…
- Dizia olhando sempre para outro lado, tímido
- Oh meu amor…! – Puxo delicadamente a cara dele para me olhar nos olhos – Isso não tem mal nenhum meu amor! Eu de certeza que também vou chorar meu amor, é normal! É dos dias mais felizes da nossa vida amor! – Falava-lhe com todo o carinho e amor, acariciando-lhe as faces rosadas
- Oh, mas há sempre aquela coisa que Homem não chora, e bla bla bla… Já sabes como é amor… Mas eu de certeza que não vou conseguir conter as lágrimas por muito tempo! – Dizia corado, falando seriamente
- Amor, não te importes com o que os outros dizem, pensam ou possam pensar! Sê tu mesmo, não ligues às outras pessoas! Tu não tens de lhes agradar, nem dar justificações de nada meu amor. A única pessoa a quem tu tens de agradar é a mim… E à tua família também amor. O resto não importa! – Dizia-lhe querida, beijando-o depois com todo o carinho e amor
- Sim amor, tens toda a razão… Desculpa amor
- Mau, outra vez? Não tens de pedir desculpa amor, está bem?
- Sim amor, sim… Vá, ainda queres jogar amor?
- Claro, vais perder! –
ria às gargalhadas olhando-o
- Não sei se é bem assim! Vamos lá ver! Jogamos 3 vezes, quem ganhar mais vezes, é o vencedor!
- Vencedora, se faz favor! Tu vais perder meu amor! –
Sorria mostrando-lhe a língua

Assim que começámos a jogar, fiz logo um Strike! Para minha infelicidade, ele fez outro logo a seguir, e até ao final teve sempre melhor pontuação que eu. Fogo! Por isso sim, pode-se dizer que a primeira ronda foi ele que ganhou. Ele, por acaso, era bom como dizia. A jogar Bowling, e não só… Enfim. As primeiras jogadas da segunda ronda não me estavam a correr muito bem, mas os Strikes que fiz depois ajudaram-me a ultrapassá-lo, e a ganhar assim a segunda ronda. Já só faltava uma, quem iria ganhar? Eu ou ele? Na minha opinião acho que sou eu, mas pronto, sabe-se lá!

- Olha que eu estou muito concentrado e muito inspirado, vou ganhar isto! – Falava ao meu ouvido enquanto me preparava para começar a jogar
- Vais, vais! Vais mas é perder, isso sim! – Dizia jogando logo depois, fazendo o meu primeiro Strike da última ronda
- O quê? Já começas assim? É logo a abrir!
- Sabes como é meu amor!


O jogo estava bastante renhido, e não dava para ver quem iria ganhar. Assim que acabou, mostrou as pontuações e quem é que ganhou? EU, pois claro!

- Nãããããããããooooooooo! – Gritava Bill, ajoelhando-se e deitando-se depois no chão, rolando de um lado para o outro, tal e qual como uma criança de 3 ou 4 anos a fazer a sua birra.
- Ó amor, é só um jogo! Não é preciso estares assim! – Dizia olhando para a figura dele
- Eu sei, estou só a brincar contigo minha tola! – Sorria levantando-se do chão
- Acho bem amor! – Dizia rindo – Acho que vou ligar à minha irmã, pode ser que ela me atenda…
- Faz isso amor, fazes bem! Pode ser que dêem finalmente notícias!



------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

16 Re: Contagious Love em Qui Dez 13, 2012 3:36 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Noooossa! Quanto love entre Bill e Sónia, isso porque só se conheceram a um dia.
E olha que já estão planejando casamento!

Pensei realmente que o Bill iria ganhar o jogo, mas pelo visto não! haha

Continue!

Ver perfil do usuário

17 Re: Contagious Love em Seg Dez 31, 2012 2:36 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Noooossa! Quanto love entre Bill e Sónia, isso porque só se conheceram a um dia.
E olha que já estão planejando casamento!

Pensei realmente que o Bill iria ganhar o jogo, mas pelo visto não! haha

Continue!

É, pelos vistos o Bill perdeu e não gostou muito disso! xD
Obrigada Very Happy

------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------




8º - NÃO!


[ Nessie ]


As próximas duas semanas passaram num instante, cheias de mimos e muito amor. Até que eu um dia adoeci, tive uma pequena gripe e comecei comer bastante. Opá, quando se tem fome, tem-se fome! E tem de se comer! Mas não, o Tom andava já com ideias. Não sei porquê, mas pronto. Enfim, homens.


- Então amor, dormiste bem? – perguntava-me beijando a minha testa
- Dormi amor, e tu? – olhava-o nos olhos, retribuindo depois o
beijo
- Muito mais do que bem.. – Dizia olhando para o tecto. Levantei-me
de repente e vesti-me e desci rapidamente até à cozinha, começando a enfardar.
Tom desceu logo a seguir e foi ter comigo, de boxers apenas. – Já estás a comer amor?
- Sim porquê?
- Oh amor, tu devias fazer o teste… Não sei, só para ficarmos descansados…
- Para TU ficares descansado, Tom! Porra…!
- Sim, acredita que ficava muito mais descansado!
- Tom, eu NÃO estou grávida, está bem?! – Olhava-o nos olhos
- Como é que tu podes ter tanta certeza? Já fizeste o teste?!
- Não, não fiz! Não é preciso, eu não estou grávida Tom!
- Não te esqueças que uma das vezes que fizemos sexo não houve protecção!
- Eu sei Tom!
- Então também devias saber que há possibilidade de teres engravidado! – Dizia agarrando-me o braço com força, olhando-me nos olhos
- Ai Tom, larga-me! – Disse ao tentar soltar-me, conseguindo-o por fim – EU NÃO ESTOU GRÁVIDA!
- Então se não estás, porque é que não fazes o raio do teste?! Se sabes que vai dar negativo, não devias estar com tanto medo de o fazer!
- Irra… Olha, eu já venho. – Peguei na minha mala e saí a passo de corrida de casa, fechando a porta com força.

Quantas vezes é que eu iria ter de repetir ao Tom que não estou grávida?! Irra, ele quando quer sabe ser bastante teimoso! Não tenho de fazer teste nenhum, eu não estou grávida, NÃO! Que teimosia! Enfim, andei uns 40, 50 metros, e recebi depois uma mensagem. Tirei o telemóvel do bolso e li a mensagem que me tinham mandado. Era do Tom, e dizia: Nessie, por favor volta para casa. Se quiseres ficar um pouco a apanhar ar, eu entendo, mas pelo menos responde-me. Se não me disseres nada eu juro que vou começar a procurar-te por toda a parte. Eu amo-te, muito. Beijinho.Não sei se me apetece voltar já para casa. Não sei muito bem o que hei-de fazer. Se calhar devia de ir comprar a porcaria do teste à farmácia, só para ele ficar mais descansado. Bem, lá no fundo, eu também ficava mais descansada. É verdade, tinha medo de fazer o teste, porque tinha medo que desse positivo. Medo que se aquele simples teste desse positivo, o Tom me deixasse. Tenho a certeza que ele me deixa se eu estiver grávida. Ele não quer ser pai, muito menos agora. E estamos juntos à 3 ou 4 semanas, e já estamos assim. Não sei o que fazer, nem para onde ir. Sinto-me vazia e perdida, apesar de saber onde estou. Sei fisicamente onde estou, mas psicologicamente, acho que não sei. Cerca de 20 minutos depois de estar a olhar para o mar da praia ali perto de casa, passei por uma farmácia e comprei o raio do teste. A farmacêutica olhava para mim como quem estava a pensar “Tão nova e já está grávida”. Mal olhava a mulher nos olhos, peguei naquilo e enfiei na minha mala. Primeiro eu não sou assim tão nova, e
depois eu sei muito bem o que faço. E sei que não estou grávida, é só para o Tom ficar mais descansado. Eram 13:46h quando cheguei a casa, e o Tom estava desesperado, no sofá esperando por mim. Assim que me viu, levantou-se num ápice e abraçou-me com força.


- Por onde andaste Nessie? Oh meu Deus, eu estava tão preocupado contigo amor! Porque é que não me respondeste??
- Desculpa amor, precisava de apanhar ar, estar um pouco sozinha… - Dizia sentando-me no sofá de um só lugar ao seu lado
- Podias ter feito isso na varanda amor, eu deixava-te a sós, e pronto!
- Tom… Tu entendeste.
- Pensaste no que te disse, amor?
- No quê? – Perguntava olhando-o nos olhos
- No teste de gravidez.
- Pensei… - Dizia olhando para a mala e agarrando-a
- Fizeste? Vais fazer? – Perguntava colocando a sua mão no joelho, e olhando-me com um pequeno sorriso
- Não sei, não sei Tom, não sei…
- Mas não sabes porquê?
- Porque tenho medo! – Confessava olhando-o nos olhos
- Medo de quê amor?
- Que me deixes. Eu sei, se isto der positivo tu deixas-me num estalar de dedos. Eu sei! Tu não queres ser pai, e para além disso somos novos e estamos juntos há pouco tempo! – Dizia já alterada, levantando-me do sofá e ficando de costas para ele
- Primeiro fazes o teste, depois logo se vê. E eu não te vou deixar. Por isso, vai lá fazer o teste, já percebi que o compraste.
- Vá lá, percebes depressa…
- Vai lá fazer o teste, eu espero aqui. – Dizia respirando fundo e olhando o tecto


Peguei na minha mala e levei-a comigo até à casa de banho. Fiz o teste, segui todas as instruções e esperei pelo resultado. Okey, se aparecer só um risco, tudo bem, se forem dois, estou completamente lixada. Arranjei-me e saí com aquilo na mão, vendo o resultado a aparecer.


- Então, qual é o resultado? – Perguntava nervoso levantando-se de súbito do sofá, e aproximando-se de mim
- Vê. – Dei-lhe aquilo para as mãos
- Eu não percebo isto… Mas acho que um risco é não, e dois é sim, não é?
- Sim, Tom. – Dizia agarrando o seu braço
- Então segundo este teste não estás grávida - Dizia olhando bem
- Exactamente Tom, tal e qual como eu te tinha dito.
- Ó miúda, porque é que não fizeste isto mais cedo? – Colocava as suas mãos na minha cintura, puxando-me para ele
- Eu já te expliquei, puto. Tinha medo que me deixasses se estivesse grávida.
- Achas mesmo? – Perguntava olhando-me nos olhos
- Sinceramente? Não sei mesmo… Nunca te vi interessado com crianças, por isso, calculo que nem penses em ser pai.
- Que disparate! Eu gosto muito de crianças, simplesmente não sou muito de o mostrar, tu sabes como eu sou. E para que fique bem claro, eu não te vou deixar nunca, miúda. – Dizia sorrindo, beijando-me logo depois
- Ainda bem, puto.
- Podemos? – Dizia Bill, entrando devagarinho na sala com a minha irmã
- Ya mano, podem. Estávamos só a falar sobre aquilo da gravidez. Ela já fez o teste – Adiantava Tom
- E então mana?! – Perguntava a minha irmã nervosa, olhando-me
- Hey, calma. Deu negativo!
- Mas sabes que é melhor depois ires fazer outro ao médico, não sabes? Esse pode estar errado… - Afirmava a minha irmã, olhando para Tom
- Não se preocupem que eu depois faço. – De súbito, alguém tocou à campainha.
- Eu vou lá ver quem é! – Dizia Bill, dirigindo-se rapidamente à porta.


------------------------------------------------------------------♥️♥️♥️------------------------------------------------------------------

Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥️

Ver perfil do usuário

18 Re: Contagious Love em Seg Dez 31, 2012 3:55 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Ah! A Nessie não tá grávida? O.o
Eu jurava que tava e que o Tom iria abandonar ela, apesar que acho que ele jamais faria algo assim. Acho que o Tom leva o maior jeito com criança.

Curiosa por mais.

Ver perfil do usuário

19 Re: Contagious Love em Seg Dez 31, 2012 5:04 pm

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Ah! A Nessie não tá grávida? O.o
Eu jurava que tava e que o Tom iria abandonar ela, apesar que acho que ele jamais faria algo assim. Acho que o Tom leva o maior jeito com criança.

Curiosa por mais.

Mistério! Muito Obrigado pelo comentário! Beijinhos♥








------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

9º - O quê?!

- Bill abria a porta e via duas raparigas à sua frente, com grandes sorrisos na cara – Olá, boa tarde! Vocês são…?
- Eu sou a Catarina e ela é… a Kätarina! – Dizia Catarina olhando para Bill, tentando acreditar que estava mesmo em frente a ele
- São as amigas da Sónia e da Nessie, não é? Entrem! – Bill abria a porta por completo, deixando as duas raparigas entrar, e fechando depois a porta.
- Então Nessie, já fizeste?! – Perguntava-me a Kätarina, com grande sorriso e ansiosa pela resposta.
- Como é que tu sabes disto? – Perguntava olhando-a incrédula
- Fui eu que lhes contei mana, tu não respondes a ninguém, e as pessoas ficam preocupadas contigo!
- Desculpem… Não estou grávida, se é isso que querem saber.
- Mas já fizeste o teste? – Perguntava Kätarina, olhando-me nos olhos
- Siim! Comprei um na farmácia e fiz.
- Se fosse a ti ia ao hospital e fazia o teste lá. – Dizia Catarina, olhando para mim, com um olhar de quem estava preocupada.
- Levantei-me de súbito e peguei na minha mala de novo – Não seja por isso. - Dizia dirigindo-me para a porta de entrada da casa dos gémeos
- Hey, onde vais miúda? – Perguntava Tom, indo logo atrás de mim e agarrando-me o braço.
- Ao hospital, Tom.
- Eu vou contigo, amor. – Dizia sério, olhando-me nos olhos e beijando-me logo de seguida.
- Tens a certeza, amor? – Inspirava após dizê-lo, olhando-o nos olhos
- Sim amor. Tem calma amor, isto não é o fim do mundo. Mano, a gente já vem.
- Está bem, vai dando notícias, mano. Até logo. – Dizia o gémeo de Tom, agarrado à mão da minha irmã. Notava-se perfeitamente que estava preocupado com o irmão, não era preciso conhecê-lo bem para perceber isso.
- Bem, nós vamos embora também… Sónia, quando souberes de alguma coisa avisas-nos? – Questionava Kätarina, aproximando-se da porta com Catarina, e é claro, de mim e do Tom.
- Sim claro, não se preocupem, quando eu souber de alguma coisa eu mando-vos logo mensagem!
- Vamos lá embora amor – afirmava o das tranças, meu namorado, agarrando-me a mão com força, mas não com muita força. Assim como eu, notava-se que estava com um certo nervosismo.


Saímos os 4 por aquela porta, mas eu e o Tom seguimos um destino diferente do das minhas amigas: fomos logo para o hospital. A viagem de carro até lá foi completamente estranha. O ambiente estava um pouco pesado, os nervos pairavam no ar. Não sabia se havia de falar, se devia estar calada… Tinha a cabeça numa enorme confusão! E se aquele teste que fiz, deu errado, e eu estou mesmo grávida? Eu sei, ele disse que não me deixava, mas… Não sei! Sinto que estou a dar em doida, e acho que a qualquer momento vou explodir! É melhor eu falar, antes que eu rebente, e depois seja pior.


- Tom…? – Chamava por ele baixinho, olhando através do vidro e percebendo que estávamos a estacionar ao lado do hospital
- Sim, babe? –
- E se eu estou grávida? – Perguntava olhando para as minhas mãos, entrelaçando os dedos, algo que fazia sempre com bastante força quando estava nervosa. Hoje não era excepção.
- Princesa… - Pegava docemente na minha mão ao dizê-lo ­– Se estiveres grávida, vais ser a grávida mais linda do mundo, e eu prometo que vou tentar ser o melhor pai do mundo para
o nosso bebé –
Sorria ao dizê-lo, acariciando-me uma das faces com a sua outra mão
- Amor… Acho que é a coisa mais linda que me disseste até hoje! – Afirmava feliz, beijando-o com todo o carinho de seguida
- Ainda não viste nada amor! Vamos então? Tenho uns amigos neste hospital, e penso que devem estar a trabalhar hoje. Pode ser que assim sejamos atendidos rapidamente, e que saibamos o resultado depressa.
- Sim amor, vamos. Obrigado por estares do meu lado, e me apoiares..
- Sempre amor, sempre.


Rapidamente saímos do carro e nos dirigimos para o hospital. Por incrível que possa parecer, o hospital estava quase vazio. Não havia ninguém à espera de ser atendido, impressionante. Por isso, não foi preciso “cunhas” nenhumas para ser atendida mais depressa. Lá fiz as análises, e a pedido do Tom, o pessoal que trata dessas coisas, do laboratório, despachou logo as nossas análises, e dando os resultados 2 horas e pouco depois de as ter feito. Estive mais meia, uma hora à espera, pois a médica estava ocupada com os pacientes que estavam internados, e depois, lá ouvi o meu nome ser chamado. Caminhei nervosa e rapidamente para o gabinete da médica, de mão dada com o meu
namorado. Sentámo-nos ambos em frente a ela como pediu, e esperámos que ela nos dissesse alguma coisa que fosse. Sim, porque ela estava calada a olhar para a carta fechada, que continha, acho eu, o resultado das análises.




- Querem ser vocês a abrir, ou…? – Perguntava ela, olhando para mim e para o Tom
- Oh senhora doutora, abra isso rapidamente, diga-nos os resultados, por favor! – Pedia nervosa, agarrando a mão do Tom com muita força
- Calma amor, estou aqui amor, estou aqui. – Sussurrava acariciando a minha mão com as suas
- Muito bem… - Pega no envelope e começa a abri-lo rapidamente, ao ver-me tão ansiosa por saber o resultado. Depressa pegou no papel que estava dobrado dentro e observou o que este informava, sorrindo. – Bem…
- Então doutora? – Questionava Tom, ansioso.
- Este é o primeiro teste que faz?
- Não, não, eu já lhe tinha dito que tinha feito um daqueles testes que se compra na farmácia, e deu negativo.
- Mas viemos cá para ter a certeza de que esse teste estava certo, porque esses muitas das vezes estão errados… - Acrescentava Tom.
- E ainda bem que vieram. – Afirmava a médica, olhando-nos enquanto pousava o papel em cima da mesa
- Diga-nos o resultado por favor, antes que ainda me dê uma coisinha má! – Implorava-lhe colocando a mão livre em cima da sua secretária.
- Realmente, já está pior que os apresentadores de Reality Shows quando estão para anunciar o vencedor! – Dizia Tom, aumentando um pouco o seu tom de voz, devido aos nervos.
- Tenham calma! Ainda bem que cá vieram, este teste está sempre correctíssimo. Estão de parabéns, vão ser pais! – Dava a notícia com um enorme sorriso no rosto.
- O quê?! – Perguntava olhando para Tom, estupefacta, sem saber se haveria de rir ou de chorar.
- Vamos ser pais amor! – Dizia-o com um grande sorriso e com lágrimas nos olhos, abraçando-me de imediato com ternura.
- Eu… Eu nem acredito amor… - Olhava-o nos olhos com um sorriso, deixando lágrimas de felicidade cair pelo meu rosto abaixo.








------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

10º - Ai mau Maria.

Spoiler:
[ Sónia ]


Estava muito bem com o meu lindo namorado, beijando-o com imensa paixão, e, quando estava prestes a despir-lhe a sua t-shirt, o seu telemóvel começou a tocar. O mais engraçado, é que meros segundos depois, o meu também começou a tocar. Calculámos logo que fosse o Tom e a Nessie, por isso,
dirigimo-nos rapidamente aos nossos telemóveis e atendemos os nossos telemóveis. Atendi a chamada logo que peguei no telemóvel.



- Estou, mana! Então?
- Ó mana, ó mana, eu estou grávida, nós vamos ser pais, e tu vais ser tia!!! - Falava a minha irmã, histérica e rapidamente.
- Ó meu Deus, a sério?! Parabéns mana! Eu nem sei bem o que dizer, maninha, mas estou muito feliz! – Dizia-lhe, completamente radiante
- Ó mana, ó mana, eu nem acredito, eu acho que estou a sonhar…
- Não, não estás Nessie! Isto é a realidade, e tu vais ser mãe! E o Tom, como reagiu? quis saber de imediato. Por acaso, estava curiosa em saber como o Bad Boy tinha reagido à ideia de ser pai
- Muito bem mana! Eu é que fiquei feita parva a olhar para ele! Ele ficou tão feliz mana, e com lágrimas nos olhos!
- Vês? E tu com medo que ele te deixasse! - Dizia rindo
- Olha mana, eu e o Tom combinamos ir almoçar fora e ir passear um pouco durante a tarde, por isso, vocês têm a casa toda para os dois até logo à noite!
- Ah, muito bem, fazem muito bem em ir festejar! Tens de ter cuidado com o que fazes agora mana, olha o bebé!
- Siiiim, eu seeeii! Vá mana, não te chateio mais. Beijinho, até logo!
- Beijinhos, adoro-te muito!
- Também te adoro muito! – Afirmava mesmo antes de desligar a chamada


Falei com Bill sobre o facto de irmos ser tios, e sobre a reacção do irmão dele. Sinceramente, não esperava que ficasse assim tão contente. Quando olhamos para o Tom, pensamos que ele é um Bad Boy, e tal e coiso, mas nunca esperei que fosse tão… Querido? Sim, isso. Ou algo do género. Pensei que fosse mais insensível, por acaso. Mas enfim, o que me interessa neste preciso momento, é que estou sozinha com o meu querido e perfeito Bill, e temos a casa só para nós até logo à noite. Vai haver festa, se é que me entendem.


- Onde íamos amor? – Perguntava olhando-o provocadora, puxando-o para mim e colocando as mãos por dentro da sua t-shirt, enquanto o beijava com paixão
- Íamos precisamente aqui amor ­– Despia tudo o que eu tinha vestido da cintura para cima num ápice, beijando cada centímetro de pele docemente – Eu amo-te, gostosa.
- Hum, não sei não, acho que eu te amo muito mais, gostoso. – Dizia sorrindo e fechando os olhos por um pouco, soltando um leve gemido ao senti-lo lamber e beijar os meus seios.
- Nada disso. O amor é igual, nem mais, nem menos. – Subia pelo meu corpo com beijos, voltando a beijar os meus lábios de forma bastante apaixonada, permitindo que as nossas línguas se entrelaçassem de forma sensual.
- Se tu o dizes, eu acredito amor. – Afirmava olhando-o nos olhos, despindo-o quase todo, deixando apenas os boxers.
- És minha, para todo o sempre. – Dizia com um enorme sorriso, pegando em mim ao colo e levando-me até ao seu quarto, e pousando-me na sua enorme cama de casal.
- Claro que sim meu amor – Despia os meus calções de forma sensual, olhando-o sempre nos olhos, provocando-o
- Esse olhar deixa-me doido, sabias?
- Ai sim, amor? Ainda bem que dizes, vou começar a olhar sempre assim
para ti. Que me dizes?

- Acho uma óptima ideia, princesa. E sabes que mais?
- Diz-me, meu príncipe.
- Não aguento mais. – Dizia acabando por despir o que me restava, e despindo logo de seguida os seus boxers.
- Eu também não, meu amor – Confessava olhando-o sempre provocadoramente, massajando o seu íntimo.
- Ai amor… - Gemia baixinho fechando os olhos ao sentir o prazer – Deixa-me eu… Deixa, eu não aguento mais!
- Claro que deixo meu amor, sou toda tua! – Sorria ao vê-lo tão louco por mim, abrindo as pernas e esperando que ele me amasse.
- Logo de seguida penetrou-me cuidadosamente, olhando para mim com um sorriso perverso – Gostas amor?
- Claro que gosto meu amor, isso nem se… Pergunta! – Gemia um pouco mais alto ao senti-lo penetrar-me um pouco mais rápida e profundamente
- Pois não amor, eu sei que tu gostas! – Acelerava ainda mais os seus movimentos, deixando-me completamente louca por ele
- Oh amor!! – Gritava por ele, louca de prazer, ao senti-lo em mim


O meu homem dá cabo de mim, juro. Não sei como ele o faz, mas que faz, faz! Leva-me ao extremo da loucura, ao extremo do prazer. Eu juro que não sei como é que ele faz aquilo… Meu Deus! Enfim, é melhor parar de pensar, se não fico outra vez toda… Coisinha. Olhei o relógio enquanto me arranjava, e vi que já eram 19:19h. Engraçado, pede um desejo! Não, isso era o que eu fazia quando era criança, agora já não preciso, já me sinto a pessoa mais sortuda deste mundo, neste momento. Bill convidou-me para irmos jantar fora, e depois talvez irmos dar um passeio. Vesti um vestido rosa e soltei o cabelo, coloquei-lhe um pouco de espuma para os caracóis ficarem mais definidos e desci até à sala. Bill já lá estava, todo arranjadinho, à minha espera.


- Elá, estás uma gata! – Afirmava ele com um grande sorriso ao ver-me descer
- Oh, obrigado amor! Ainda bem que gostas! – Dizia feliz aproximando-me dele e puxando o vestido um pouco para baixo, visto que era daqueles teimosos que tende em estar constantemente a subir. Espera, acho que todos os vestidos curtos e justos são todos assim, right? Não sei, já não sei o
que digo, ou melhor, penso.
- Eu não gosto, eu amo! Mas amo-te muito mais a ti, do que ao teu visual – Dizia com uma voz doce, beijando-me carinhosamente logo de seguida – Vamos então meu amor?
- Sim amor, vamos! – Peguei na minha pochete e dirigi-me até ao seu carro, de mão dada com ele.


Rapidamente abriu a minha porta e esperou que entrasse, fechando depois a porta com cuidado. Não demorámos muito a chegar ao restaurante, e Bill tinha um lugar reservado no parque de estacionamento e tudo. Andou a subornar alguém, ou será que tem amigos a trabalhar neste restaurante? Bem, eu não sei, mas espero descobrir em breve. Entrámos no restaurante e fomos direitos a uma mesa bem lá no fundo, num dos cantos do restaurante. Tinha uma bela vista, conseguíamos ver o mar dali. Quer dizer, conseguíamos, graças à Lua Cheia.


- Gostas do restaurante amor? E da vista? - Perguntava acariciando uma das minhas mãos, em cima da mesa
- Gosto imenso meu amor! – Sorria olhando-o nos olhos, desviando depois o olhar ao ver uma das empregadas do restaurante aproximar-se. A farda dela era mínima, e para ajudar ainda mais, tinha uma mini-saia vestida por baixo. Não me agradava nada.
- Bill, querido! Como estás? – Questionava-o com um enorme sorriso, olhando apenas para ele e ignorando-me por completo. Era como se não estivesse mais ninguém ali, só o Bill.
- Ai mau Maria… - Sussurrei para mim mesma, olhando a rapariga de lado.



------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

11º - Eu nem acredito…


- Olá Ashley. Trabalhas aqui, é?
- Sim, Bill! Desde o mês passado! – Dizia olhando-o sempre. Até já me estava a meter um nojo extremo! Se eu ao menos soubesse como é que eles se conhecem, que ela é…
- Olá! Boa noite para ti também! – Falava num tom super arrogante, esperando que ela me falasse.
- Ah, olá…! Desculpa, não reparei que estavas aí…
- Aw, a sério? – Questionava sarcasticamente, olhando-a por vezes de lado
- Bem, eu sou a Ashley, ex-namorada do Bill… E do Tom… Quer dizer, não era bem namorada, foi só um beijinho na boca, tínhamos nove anos! – Sorria imenso para Bill ao contar aquela bela
história
- Pois, exacto. Como se isso contribuísse para a minha felicidade.
- Amor, éramos pequenos, foi uma coisinha sem importância nenhuma, não é preciso estares assim… - dizia numa voz doce, voltando a acariciar a minha mão.
- Sim, é verdade! – Acrescentava Ashley, sorrindo. Deveria ser para me chatear, com certeza.
- Sim, claro. Continuem a defender-se um ao outro, fica-vos muito bem, que fofos. – Dizia olhando para Ashley com cara séria. Era mais cara de má do que cara séria, mas pronto.
- Amor, por favor… Não estejas assim amor, sabes muito bem que só te amo a ti meu anjo.
- Eu vou à casa de banho. – Levantei-me de imediato e peguei na minha pochete.
- Sabes onde é a casa de banho, linda! – Perguntava-me Ashley, olhando-me sempre com um sorriso. Irra, que falsa!
- Não, não sei, mas eu desenrasco-me! – Caminhei rapidamente para a recepção do restaurante.


Dirigi-me a uma empregada que estava ali por perto e perguntei-lhe onde era a casa de banho. A rapariga respondeu-me educadamente e indicou-me o caminho. Agradeci e entrei numa das casas de banho, fechando a porta com força, sem me aperceber muito bem de que o fizera. O raio da vadia mete-me cá uns nervos e um nojo! Será que ele me trouxe aqui só para a ver? Não, se calhar não, eles
quando se viram estavam “espantados”, e ele perguntou se ela agora trabalhava aqui… E se eles combinaram? Ai Sónia, não penses em disparates! Estou a precipitar-me um pouco… O melhor é respirar fundo e voltar para lá.



- Amor…! Estás bem amor? – Perguntava, levantando-se de imediato e olhando para mim.
- Sim amor, não te preocupes! Foi só… Um ataque de ciúmes, ou coisa do género. – confessava sentando com ele, de novo, à mesa, frente a frente.
- Ó meu amor, porquê? – Questionava-me, tentando compreender-me
- Oh… Ela chega aqui e pôs-se toda querida para ti amor, nem viu que eu aqui estava, e depois quando falei ainda se fez de sonsa e falou como se nada fosse!
- Amor… Tu sabes perfeitamente que eu só te amo a ti! A Ashley é mesmo assim, trata toda a gente como se fossem grandes amigos dela. Confesso que às vezes chega a um ponto que já mete impressão amor…
- Afinal não sou a única a achar isso! – Sorria ao dizer-lhe
- Ai não és de certeza amor! Olha, enquanto foste à casa de banho eu fui comprar uma coisinha…
- O quê amor? – Perguntava olhando em volta, tentando ver o que havia por ali perto, que ele pudesse oferecer-me
- Toma amor! – Dizia com um enorme sorriso, puxando de um ramo de rosas cor-de-rosa lindíssimas, que estava por baixo da mesa para que eu não visse, e dando-mo para as mãos
- Ó amor! Tão lindo, muito obrigado amor! – Peguei no ramo e inclinei-me para a frente, beijando-o com todo o amor e carinho
- Gostaste meu amor?
- Claro sim amor! Adoro rosas, e ainda por cima são cor-de-rosa, as minhas preferidas! Como é que sabias amor? – Perguntava docemente, cheirando as belas flores que me tinha oferecido
- Sabes amor, acho que sou adivinho… - Fazia uma expressão cómica ao dizê-lo, ajeitando depois o seu cabelo, também de uma forma cómica
- Adivinhaste, foi amor?
- Não, nem por isso amor! Eu perguntei à tua irmã, e foi ela que me disse que essas eram as tuas flores preferidas amor! E como vi um senhor a vendê-las aqui, comprei-as num instante enquanto não vinhas, princesa!
- Aw, tão fofo! Obrigado amor! – Agradecia com um enorme sorriso, inclinando-me de novo para a frente e beijando-o apaixonadamente
- Não tens de agradecer meu amor! Bem, vamos fazer os pedidos meu amor?
- Sim meu príncipe, estou com fome!
- Vamos já tratar disso então!


Fizemos rapidamente os pedidos, e meia hora depois os nossos pratos chegaram. A comida tinha um ótimo aspeto, e cheirava muito bem! E como estávamos os dois cheios de fome, não demorámos muito a “atacar”! O Bill olhava várias vezes para mim enquanto comia, sorrindo-me docemente, e por vezes
piscando-me o olho. Ele é mesmo querido, é tão fofo! E eu amo-o imenso, claro! Mas de repente, acordou-me dos meus pensamentos…



- Amor? – Chamava por mim baixinho, olhando-me com grandes olhos
- Sim meu amor, diz?
- Está tudo bem meu amor? Estás muito pensativa princesa!
- Sim meu amor, está tudo ótimo! Estava só a pensar no quão fofo e querido tu és! – Dizia docemente, olhando-o nos olhos
- Mas eu só sou assim para a minha princesa perfeita! – Afirmava, com os olhos a brilhar
- Ó Amor, não sou perfeita! - Negava o que ele tinha dito, sorrindo
- Podes pensar que não és, mas para mim és, e é isso que importa amor!
- É sim meu amor! E estava aqui a pensar noutra coisa…
- No quê, meu anjo?
- Não acredito que vamos ser tios! – Dizia-lhe pasmada. Por mais que tivesse pensado que a minha irmã devia estar grávida, quando soube a certeza nem conseguia acreditar! E por uns momentos, penso que estou a sonhar.
- Mas é bem verdade amor! E… Não sei… Ahm, esquece amor.
- O que foi amor? Passa-se alguma coisa? – Questionava preocupada, vendo-o baixar a cara
- Não amor, não se passa nada. Acho eu…
- Amor, estás a deixar-me preocupada! O que foi amor? – Perguntava de novo, esperando que ele me contasse o que realmente se passa, em vez de um não se passa nada.
- Estava aqui a pensar amor… E nós hoje não… Esqueci-me amor.
- Mas esqueceste-te de quê amor? Não estou a perceber nada!
- Ó amor, de usar… - Baixa o tom de voz – Quando fizemos… Já percebeste amor? – Dizia baixinho, começando a ficar corado
- Ah, já percebi amor! Não vai acontecer nada amor, está descansado!
- A tua irmã foi igual amor… E agora está grávida!
- E se eu engravidar amor? – Perguntava, olhando-o preocupada
- Se assim for, serei o homem mais feliz do mundo amor! – Dizia calmamente, com um enorme sorriso
- Oh meu amor…! – Uma lágrima escapava do meu olho e escorria pela minha face abaixo. Ele deixa-me assim, feliz!
- Não chores meu amor! Já viste quem vem aí? – Perguntava apontando para as pessoas que acabavam de entrar no restaurante.


------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------


Especial Fim de Ano!
Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥

Ver perfil do usuário

20 Re: Contagious Love em Seg Dez 31, 2012 11:20 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Wow! Nessie grávida. Nossa o Tom ficou realmente animado.

Sonia é realmente ciumenta. Credo. O.o
Será que a Sonia engravida? Bill reagiu bem. Acho que na vida real ele ficaria em desespero huahua

Curiosa por mais...

Ver perfil do usuário

21 Re: Contagious Love em Seg Jan 14, 2013 5:01 am

Agradecimento:
Samantha McHoffen escreveu:Wow! Nessie grávida. Nossa o Tom ficou realmente animado.

Sonia é realmente ciumenta. Credo. O.o
Será que a Sonia engravida? Bill reagiu bem. Acho que na vida real ele ficaria em desespero huahua

Curiosa por mais...

É verdade, Tom ficou mesmo muito feliz! Sónia é muito ciumenta...
Vou postar já mais, obrigado!

------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------

12º - Eu vou embora!



- Quem é amor? – Virei devagarinho a cabeça e vi o Tom com a minha irmã, que se dirigiriam para uma mesa bem perto da nossa – Olha os futuros papás!
- Ó tu! –
Dizia Bill vendo que o seu irmão gémeo estava tão distraído com a minha irmã, que nem reparou que estávamos mesmo ali. Bem, nem ele nem ela!
- Olh’ó! – Dizia o das tranças, aproximando-se da nossa mesa, de mão dada com a minha irmã. – Então maninho, também trouxeste a namorada ao restaurante mais fino da cidade?
- Claro! Ela merece! Isto e muito mais!
– Dizia olhando para mim de imediato, de forma muito doce e querida, como sempre fazia, mas só a mim.
- Pronto, lá está ele a ser fofinho e todo queridinho, para variar… Quer dizer, agora com a Sónia isso tem piorado! – Dizia na brincadeira, rindo-se depois.
- Pronto, o mesmo Tom de sempre! Olhem lá, peguem nessa mesa aí ao lado e juntem-se a nós! – Afirmava eu, olhando para os olhos brilhantes da minha irmãzinha. Dava para ver à distância a sua grande felicidade. Confesso que amo vê-la assim, tão feliz!
- Ó, mas nós não vos queremos incomodar! – Dizia a minha irmã docemente, olhando-nos de forma querida. Era por isto e por outras coisas que eu às vezes lhe chamava de bonequinha, porque ela de facto parece daquelas bonequinhas lindas que todos querem! Mas também, quando se chateia, chateia-se a sério! E não é bom estar perto dela quando ela está irritada!
- Não incomodam ninguém! – Exclamava Bill, olhando-os

[Nessie]
- Pronto, está bem! – Afirmava Tom, olhando em redor, à procura de um empregado para pedir permissão para juntar as mesas. Assim que avista alguém, chama-o – Ó fáchabôre! – Chamava Tom, uma das empregadas, que se encontrava de costas para nós.
- Sim? – Dizia a rapariga, virando-se para o meu namorado e correndo para ele, e abraçando-o de imediato – Tommie! O teu irmão disse-te que eu estava aqui, não foi? Tiveste saudades minhas? – perguntava-lhe tudo muito depressa, sempre agarrada a ele
- Ó Ashley…! – Dizia Tom chateado, tentando soltar-se daquela lapa.
- Isto vai dar merda… - Sussurrava Bill para a minha irmã, sem saber muito bem o que fazer ou dizer.
- Ó sua vaca! – Dizia eu zangada, afastando-a do meu namorado.
- Olha-me esta! – Exclamava olhando-me com um sorriso parvo e compondo-se – Deves pensar que tenho medo de ti, boneca!
- Peguei na camisola dela e empurrei-a contra a parede com força – Mas devias ter, ó put*. – Dizia olhando-a nos olhos, super irritada.
- Ui que medo! – Afirmava ela, como se estivesse a desafiar-me. Vadia dum raio!
- Nem pensei duas vezes. Dei-lhe um murro com tanta força que ela foi logo parar ao chão – Vê lá se aprendes a não te meter com quem não deves!
- Amor, não te enerves, olha o bebé! –
Dizia Tom preocupado comigo e com o nosso filho, afastando-me dela e abraçando-me por trás
- Amor? Bebé?! – Perguntava Ashley espantada, limpando o sangue da boca e tentando levantar-se
- Sim idiota, eles vão ser pais. – Respondia-lhe Bill, de forma arrogante
- Que se passa aqui? – Perguntava um senhor de fato e gravata, aproximando-se rapidamente e olhando para Ashley no chão. Talvez fosse o gerente do restaurante, ou um boss do género.
- Foi esta rapariga, senhor Anthony! – Dizia Ashley, fazendo-se de vítima e coitadinha. É mesmo uma vaca, não haja dúvida. Eu já estava pior que passada, e não era suposto.
- Peço desculpa mas vou ter que lhe pedir que abandone o estabelecimento, senhora. – Afirmava o senhor, olhando para mim com cara séria
- Ah pois pode ter a certeza que saio daqui! E juro-lhe que nunca mais volto a meter aqui os pés! Não gosto de ir a restaurantes onde têm put*s a agarrarem-se ao meu namorado! E juro-lhe que não vou recomendar o seu restaurantezinho a ninguém! E se não falar mal dele, tem muita sorte! Era suposto haver aqui, empregados, não prostitutas. Pensei que isto fosse um restaurante, não uma casa de put*s! Eu vou mas é embora daqui! E para a próxima escolha melhor os seus empregados, se não o seu negócio morre! – Virei costas e saí imediatamente dali, em passo de corrida.

Se ficasse ali mais um segundo que fosse, as coisas iam ficar muito piores, muito piores mesmo. E aquela vaca teve muita sorte em levar só um murro, porque ela merecia muito mais. O que mais me irritou foi o facto de o Tom não ter feito praticamente nada quando ela o abraçou, mexeu-se um pouco mas não o suficiente para ela sair dali! Será que se gostam? Ai que nervos! Saí dali a correr e meti-me no jardim enorme que ficava em frente ao restaurante, correndo por ali fora sem saber muito bem para onde ir. Estava muito nervosa e zangada, e quando estou assim o melhor é estar longe de tudo e de todos! Mas de repente, ouvi uma voz doce chamar por mim, um pouco ofegante. Olhei para trás e vi que era ele, o Tom. Acabei por parar de correr e olhei para trás, vendo-o correr até mim.

- Amor! – Dizia ofegante aproximando-se de mim
- O que foi?? É melhor deixares-me sozinha, por favor! – Afirmava irritada, virando-me de costas para ele
- Amor por favor acalma-te! Não te podes enervar, olha o nosso filho! – Dizia preocupado, agarrando o meu braço e puxando-me para ele
- Tu não fizeste nada. Deixaste que ela se agarrasse a ti, e ali ficasse tipo lapa! Queres que esteja como? Contente?! Ahaha, as put*s agarram-se ao meu marido And I Know It! – Olhava para ele com cara séria
- Amor, nada disso! Ela é uma vaca sim, mas eu não gosto dela! Muito pelo contrário, eu odeio-a! – Dizia olhando-me nos olhos, e limpando as lágrimas que caiam pelas minhas faces sem eu sequer me aperceber – Amor, por favor…
- Mana, estás bem?! –
Questionava a minha irmã, aproximando-se rapidamente de mim e abraçando-me com carinho – Tens de ter cuidado agora, não te podes enervar por causa do bebé!
- Eu estou bem mana, não te preocupes.
- De certeza mana? Eu conheço-te…
- Sim. Acho que… Vou para casa, é melhor. –
Respondia respirando fundo depois

Não demorámos muito a chegar a casa, e assim que chegámos, Tom obrigou-me a ficar sentada no sofá e a beber um chá, por causa dos nervos. Para além disso, queria conversar sobre o que se tinha passado, para ficar tudo esclarecido. Até estava com receio do que para ali vinha, não me apetecia nada chatear-me outra vez!

[Sónia]

- Que raio de dia amor! – Afirmava Bill, sentando-se na cama e puxando-me, fazendo como que me sentasse no seu colo
- Podes crer amor! Aquela gaja só sabe estragar as coisas! – Dizia irritada, pensando no estado em que a minha irmã ficou, e com todo o direito
- Bem, que eu saiba ainda não estragou nada… Mas por isso é que eles vão falar melhor. Bem, deixemos de falar nos outros, e passemos a nós! – Sorria beijando-me delicadamente o pescoço


------------------------------------------------------------------♥♥♥------------------------------------------------------------------


Espero que gostem!
Comentem, siim?
Obrigado e beijinhos♥

Ver perfil do usuário

22 Re: Contagious Love em Seg Jan 14, 2013 11:13 am

Sam McHoffen

avatar
Administradora
E eu achando a Sónia ciúmenta, pelo visto a Nissie é beeem pior!
Shocked Estou chocada com a reação da Nissie ao ver a garota abraçar o Tom, e pior ainda, lhe dar um soco na cara! Se fosse comigo ignorava a garota completamente!

Acho que a Nissie não deve culpar o Tom, ele não deve culpa alguma no que aconteceu, espero que fique tudo bem entre eles!

Ver perfil do usuário

23 Re: Contagious Love em Ter Mar 11, 2014 9:26 pm

tô amando continuaaaaa

Ver perfil do usuário

24 Re: Contagious Love em Qua Mar 12, 2014 4:32 pm

ATENÇÃO!
Lamento imenso informá-las, mas eu desisti de continuar esta fanfic. Talvez um dia mais tarde eu até volte de pegar nela e continuá-la, mas por enquanto não o farei... Eu até ando com umas ideias para uma nova, mas não prometo nada...
Lamento imenso, e espero que, quem leu até aqui, tenha gostado.
Agradeço imenso pelos vossos comentários, pelo apoio, amor e carinho. Beijinhos ♥

Ver perfil do usuário

25 Re: Contagious Love em Qua Abr 16, 2014 2:34 pm

Sam McHoffen

avatar
Administradora
Que triste, Nessie!  Sad 
Mas espero que tu volte a escrevê-la, ou essa outra que tu está com ideias. Smile

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum